Tio Gay e Sobrinha Gay Juntos na Putaria

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on TumblrShare on Reddit
  • Fetiche: Tio Gay leva Sobrinha Gay para Putaria;

  • Personagens: Monica e Cláudia (Sobrinha e Namorada), Tio e Bruno (Namorados);

  • Características:

    • Buceta Cabeluda,

    • Sobrinha Gostosa,

    • Namorado Gostoso;

Falei através do telefone com Monica, e disse tudinho, que havia transado com um garotão e tinha adorado.

Que ele mora numa cidade próxima a dela e que pretendia transar com ele de novo.

Depois dessas confissões, ficamos muito mais íntimos e não escondíamos nada entre nós.

Primeira vez, como foi, nossas preferências, nossas fantasias.

Por fim, decidimos que ela iria assistir uma das minhas transas com meu garotão Bruno.

Chegou este dia. Em mais uma de minhas viagens, fui até sua cidade.

No apartamento de Monica a coisa corria a solto, revistas pornô, filmes e apetrechos sexuais.

Delicia, tinha de todos os tamanhos e grossuras, tanguinhas minúsculas jogadas em cima do sofá e mesa.

Um verdadeiro paraíso.

Conversa vai conversa vem e fomos tomar banhos, não tínhamos qualquer pudor, putarias e mais putarias foram comentadas.

Pelada Monica era mais linda ainda, um bundão de dar inveja a qualquer uma.

Sua buceta dava de dez a zero na Cláudia Ohana, apesar de ser loira, pintava seus fartos e longos pentelhos de preto, parecia estar usando uma calcinha de pelo de animal.

Ela vendo-me pelado de pau duro questionou porque um viadinho ficava de pau duro em olhar um buceta.

Disse que gostava de tudo no sexo, mulher homem ou animal, que o importante era gozar, e que ela se cuidasse pois com uma bucetona linda daquela, eu mesmo sendo o tio dela poderia cair de boca.

Estava tudo encaminhando-se para uma foda, porém não quis afirmando que estava me guardando para meu homem e depois de me entregar para ele valeria tudo. Perguntaram elas se iria sobrar alguma coisa para ela.

Respondi que depois dele me fazer gozar e eu fazê-lo gozar eu o liberaria para elas. Enfim chegou a hora, fomos buscá-lo na rodoviária.

Aao embarcar no carro Monica perguntou se iríamos a algum barzinho, respondi na bucha.

Não vamos direto para seu AP, pois não vejo a hora de levar pica.

Bruno ficou avermelhado, sosseguei ele dizendo que elas já sabiam que você era meu homem, meu macho, meu amante meu namorado, apertando seu delicioso pau por sobre a calça.

E que elas não poderiam falar que nós éramos viados pois elas eram sapatão.

Quando ficou sabendo que as duas eram chegadas a uma buceta, também eram namoradas. Por toda a viagem até o apartamento fomos nos acariciando e trocando um longo beijo que só acabou quando descemos do carro.

Já no AP eu tirei a roupa do meu macho, fiquei só de calcinha e passei a me embolar na cama com ele.

Beijos, chupadas carícias e enfim, uma gostosa mamada na pica começando pelo seu cú.

Dali chegamos a um meia nove.

As garotas peladinhas começaram a bater uma siririca enquanto nos assistiam.

Na hora do gozo, fiz com que meu homem esporrasse no meu rosto, na boca, e olhando para elas disse:

Delícia este mel.

Quando com a língua e os dedos puxava tudo para minha boca quando sorvia deliciosamente aquele néctar.

Mete no cú dele. Disse Monica. Não vejo a hora de ver meu tio levar uma rola, vamos ver se ele gosta tanto como disse.

Adoro, adoro, adoro respondi eu, quando pedi para ele me foder do jeito que só ele sabe, na posição de frango assado para eu poder ver os seus lindos olhos.

Deitei na posição e pedi para as garotas darem uma chupada molhada na pica dele e no meu cú para escorregar gostoso.

Monica deu uma mamada gostosa de dar inveja na rola dele enquanto Cláudia chupou meu cú deixando-o bem molhado.

Delícia levar pica do homem que se ama sendo assistido por duas garotas sendo uma delas sua sobrinha foi demais, rebolava, gritava que aquilo era o céu, que estava sentindo a gostosura dele chegando ao estômago.

E mais uma vez Bruno gozou, só que desta vez no meu cú.

Adormeci com Bruno dentro de mim, enquanto Monica e Cláudia também com um vibrador de duas pontas uma enterrada em cada uma das bucetas gozaram como nunca.

Ao amanhecer Bruno acordou com vontade de mijar, não deixei, estava tão gostoso ter meu macho juntinho de mim, sentindo seu cheiro, seu hálito seu desejo.

Falei brincando, se quiser mijar vai ter que fazê-lo sem tirar o cassete de dentro do meu cú.

Não teve outra, ele passou a urinar dentro do mim, aquilo foi uma loucura, deitados no chão, tirei ele de dentro e deixei aquele caralho lindo mijar no meu cassete, na minha barriga, no meu rosto e por fim na minha boca, achei aquilo meio azedo, amargo e um pouco quente, mas o desejo, o tesão falou alto e acabei bebendo os últimos jatos de sua urina.

Todos me olhavam, e disseram:

Você é louco!

Sou e daí, vocês deviam experimentar e ver como é gostoso.

Deixa eu mijar em você, Bruno!

Deixo, mas se não gostar você para tá bom!

Tá legal.

Mijei na carinha linda de Bruno.

Monica logo em seguida fazia o mesmo com Cláudia.

Bruno pegava meu caralho e fazia o jato ir para seu peito, sua bunda, seu rosto e por fim na boca, bebendo tudinho o que sobrou.

Sai e fui lamber Cláudia, éramos puro tesão, lambendo o xixi de minha sobrinha que deixou Cláudia ensopada, azedinha, gostosinha, uma verdadeira putinha.

Terminamos com Cláudia me dando mais um delicioso banho de mijo e Bruno dando outro em Monica.

Ai … ai, como foi bom, porém nunca mais repetimos o ato.

Eu era um verdadeiro viadinho, havia experimentado quase de tudo e o melhor. Minha sobrinha putinha sabia de tudo e participara.

Estava chegando a hora de Bruno partir, meu coração estava triste, eu amava aquele garoto e queria ele pertinho de mim, se possível para sempre, queria seus beijos, seus carinhos, sua boca, sua saliva, seu gostoso pau, seu leitinho quente, enfim, queria ser sua mulherzinha para sempre, esperar diariamente ele em casa, na nossa casa.

Bruno retornou e ficamos sós, eu Monica e Cláudia, Monica questionou que eu já tinha experimentado de tudo, de tudo ainda não, quero ainda ser fodido por um macho de caralho descomunal, que me arrebente tudo, que deixe meu cú aberto para o mundo.

Mas você já não experimentou este aqui de borracha.

Quero um maior, e que seja quente, que esporre, que seja duro e ao mesmo tempo revestido de uma pele aveludada e macia.

Tem que ser um daquele de revistas e filmes pornográficos.

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on TumblrShare on Reddit



Nenhum comentário


Você pode deixar o primeiro : )



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Humano? * Tempo limite excedido